Nos dias de hoje a maioria dos países ocidentais como a Inglaterra por exemplo, aboliram a pena de morte. Porém, lá no início do século XIX, a coisa era bem diferente. As execuções por mandato eram muito comuns, e chegavam a ser até mesmo um tipo de “espetáculo” para as pessoas, que se juntavam em uma praça para assistir. E a maneira mais utilizada na época, era a forca.

Publicidade

Na qual, a grande maioria das pessoas acabavam não conseguindo sobreviver. Com exceção de um homem, que teria ganhado a fama de “o homem que não se pode enforcar”. Ele se chamava John ‘Babbacombe’ Lee, e foi condenado pelo assassinato de Miss Emma Anne Whitehead Keyse, na cidadela de Babbacombe.

E por mais que o homem tenha defendido a sua inocência, as provas foram circunstanciais. Em 1885, ele foi condenado à morte por enforcamento. E seria enforcado na prisão de Exeter.  

Estava tudo certo, o executor já tinha feito todas as checagens, porém, quando chegou a hora o mecanismo falhou. Foram feitas três novas tentativas, mas todas falharam. Não adiantava, as checagens davam ok, mas na hora “H” não funcionava.  

Depois disso, resolveram parar de tentar enforcar o homem, e o jogaram em uma cela por 22 anos em uma prisão da Inglaterra. Em 1907 quando ganhou a liberdade, o seu “feito” de driblar a morte já era conhecido por todos, tanto que todos queriam conhecer o homem.  

Porém, ninguém soube ao certo para onde John foi. Cogitaram que teria saído do país, outros diziam que ele morava escondido em Londres, fugindo dos curiosos.  

Em 2009 foi descoberto que ele teria morrido em Milwaukee, Wisconsin. Ele teria ido para a América, aonde teria construído uma segunda família, já que teria abandonado sua esposa e duas filhas na Grã-Bretanha.

Sortudo, ou era mesmo inocente?

Que tal contribuir com um ponto? 😉

0 pontos
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários

CONTINUAR LENDO
Publicidade