5 coisas estranhas e assustadoras descobertas no meio do gelo

0 586

Para as pessoas que vivem em invernos nevados, encontrar algumas coisas estranhas na neve com a chegada da primavera não é incomum. No entanto, essas descobertas geralmente não são mais do que itens perdidos do cotidiano, como luvas, copos de papel, chaves e detritos de animais. Embora essas descobertas na primavera possam ser mundanas, em todo o mundo houve algumas descobertas verdadeiramente chocantes encontradas em locais gelados.

Confira a seguir 5 coisas estranhas descobertas no meio do gelo:

1 – Sexta-Feira Branca

Durante a Primeira Guerra Mundial, houve uma guerra feroz entre as forças italianas e austro-húngaras. Este conflito ocorreu nos Dolomitas, uma cordilheira no nordeste da Itália. Houve muitas casualidades devido à guerra, mas algumas mortes foram devidas a forças externas. Na sexta-feira de 13 de dezembro de 1916, uma avalanche tirou a vida de 10 mil soldados.

O dia ficou conhecido como “Sexta-feira branca” e os restos de soldados ainda estão sendo encontrados hoje à medida que o planeta se aquece. Em 2012, os corpos de dois soldados adolescentes foram descobertos no gelo, perfeitamente preservados.

2 – O segredo do congelador

Nem todas as descobertas assustadoras são feitas no gelo que cobre o mundo. Uma mulher fez uma descoberta muito perturbadora quando comprou um congelador em uma venda de quintal.

Marcella Jean Lee, de 56 anos, vendeu um congelador a vizinha por apenas US $ 30 antes de se mudar da Carolina do Norte. O congelador estava coberto de fita e Lee afirmou que era uma cápsula do tempo com itens dentro para um projeto de escola.

Lee foi dura ao dizer a sua vizinha para que não olhasse o que tinha dentro e que membros da igreja viriam para coletar o conteúdo dentro. A vizinha esperou por algumas semanas, mas quando ninguém veio colecionar qualquer coisa, ela decidiu olhar o que havia dentro.

No congelador, estava o cadáver da mãe de Lee, que morreu por causas naturais. Lee foi acusada por crime de não informar a morte.

3 – O trágico acidente nos Andes

Em 1972, uma equipe de rugby uruguaio conhecida como Old Christians Club embarcou em um avião em direção ao Chile. No entanto, a aeronave acabou caindo nos Andes, reivindicando a vida de mais de um quarto dos passageiros.

Muitos dos sobreviventes perderam a vida devido às condições traiçoeiras dos Andes. Aqueles que sobreviveram tiveram que ouvir as notícias assustadoras dos relatórios de rádio que a busca por eles havia sido abandonada.

Felizmente, dois sobreviventes fizeram uma caminhada de 10 dias e eventualmente entraram em contato com as autoridades. Os outros sobreviventes foram localizados e retirados da cena do acidente.

26 dias depois dos sobreviventes terem sido resgatados, um grupo de homens liderados por um padre foram ao local do acidente para enterrar os falecidos. Eles fizeram a terrível descoberta de que os sobreviventes ficaram vivos por terem comido a carne daqueles que pereceram no acidente.

4 – Um encontro inesperado

No sul da Suécia, Jeffer Sandström, de 26 anos, decidiu explorar as águas escandinavas congeladas e andar de patins no lago Jönköping. No entanto, o patim de gelo de Sandström foi inesperadamente interrompido por uma visão chocante. Ao colidir, o homem achava que havia encontrado um pedaço de espuma de borracha.

Após chegar mais perto, ele percebeu que era na verdade uma raposa congelada no lago, com apenas seus bigodes saindo da superfície do gelo.

Sandström acredita que a raposa caiu no gelo e não conseguiu voltar para a superfície. Ele disse que imediatamente voltou para casa depois da descoberta, afinal, ele queria ter certeza de que não seria o próximo.

5 – O “Homem de Gelo”

Em 19 de setembro de 1991, dois turistas alemães caminhavam nos Alpes de Ötztal, uma cordilheira no centro-leste dos Alpes. Os turistas acabaram descobrindo um cadáver, que eles achavam que poderia pertencer a um montanhista recentemente falecido.

Três dias depois, o corpo foi retirado do local e levado ao consultório médico de Innsbruck, na Áustria. O cadáver foi examinado pelo arqueólogo Konrad Spindler, que descobriu que esse corpo descoberto estava longe de ser recente.

Verificou-se que o corpo tinha cerca de quatro mil anos de idade e que isso poderia ser afirmado devido às ferramentas que foram encontradas junto dele. Agora conhecido como “O Homem de Gelo”, essa descoberta revelou a mais antiga múmia humana conhecida da Europa.

Fonte: Providr

Receba as nossas postagens por e-mail. É grátis.
Junte-se aos mais de 25.000 outros assinantes
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: